Busca

comunica

inscrições linguísticas na comunicação

A escravatura, o trabalhador e a conjuntura em que vivemos

Discurso do  historiador João José Reis, autor do clássico “Rebelião escrava no Brasil – a história do levante dos malês em 1835”, ao receber, em 20 de julho de 2017, o “Prêmio Machado de Assis”, da Academia Brasileira de Letras.

Fonte: A Casa de Vidro

Captura de Tela 2017-12-26 às 12.00.59

Sou grato aos membros desta Academia por considerar minha obra merecedora do Prêmio Machado de Assis. Sendo um historiador da escravidão (embora não apenas) permitam-me imaginar a concessão do prêmio, quando a Academia cumpre 120 anos, como uma homenagem àqueles dentre os seus fundadores que, entre outros, militaram contra a escravidão — penso em Rui Barbosa, Joaquim Nabuco, José do Patrocínio e, muito especialmente, Machado de Assis, que dá seu nome a este laurel. Neto de escravos, Machado, além de abolicionista arguto, radical, embora discreto, foi a seu modo historiador da escravidão, no que acompanho um de seus mais destacados intérpretes, Sidney Chalhoub, também historiador da escravidão. Continuar lendo “A escravatura, o trabalhador e a conjuntura em que vivemos”

Anúncios

Grafite muda cenário e traz segurança em Guaianazes, na zona leste de SP

Intervenção na paisagem

Desenhos de Tody One afastam violência e unem a comunidade. ‘A gente precisa conversar, envolver as pessoas, para mudar a periferia, a cidade, o país’, diz o artista
isaías dalle
gigante da escadaria 1.jpg

Gigante da Escadaria é um grafite ao longo de 78 degraus, faixa por faixa, formando um enorme desenho

Continuar lendo “Grafite muda cenário e traz segurança em Guaianazes, na zona leste de SP”

Proibir palavras?!

“Anvisa” dos EUA é proibida de usar o termo “baseado em ciência” por Trump

Por , em 18.12.2017

Os sete temidos

As sete palavras ou expressões proibidas são: “vulnerável”, “direito”, “diversidade”, “transgênero”, “feto”, “baseado em evidências” e “baseado em ciência”. Continuar lendo “Proibir palavras?!”

Gênero, feminismo e internet na América Latina

Relatório completo:Captura de Tela 2017-12-17 às 12.11.47

Base Nacional Comum Curricular – BNCC. Num Brasil sem diálogo, escola vira arena para disputas

Entrevista especial com Renato Janine Ribeiro

Escola deve ser espaço livre para a manifestação da diversidade, sem qualquer tipo de repressão. Esse é o conceito que deve ser perseguido, segundo Ribeiro

05/12/2017 16:52

 

A escola deve ser o espaço livre para a manifestação da diversidade, sem qualquer tipo de repressão. Esse é o conceito que deve ser perseguido, segundo o professor e ex-ministro da Educação Renato Janine Ribeiro. “O papel básico da escola, de qualquer ordem que seja, é aceitar a pessoa na sua diversidade. A escola não deve doutrinar em nenhuma direção”, complementa. Segundo ele, esse também deve ser o princípio da Base Nacional Comum Curricular – BNCC. Entretanto… Continuar lendo “Base Nacional Comum Curricular – BNCC. Num Brasil sem diálogo, escola vira arena para disputas”

MP investiga abuso no uso público de aplicativo

MP instaura inquérito para apurar abuso de Doria em aplicativo

Representação do vereador Toninho Vespoli (Psol) afirma que ferramenta mantida por empresa privada possibilita que o prefeito divulgue a própria imagem
por Redação RBA publicado 11/12/2017 18h08, última modificação 11/12/2017 19h48
joao doria na ebc.jpg
 [Rovena Rosa/Agência Brasil]

Denúncia: falta de observância dos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência

Captura de Tela 2017-12-12 às 13.15.25

 ARTIGO 19 lança nesta terça-feira (12) o relatório “Desenvolvimento de políticas de cibersegurança e ciberdefesa na América do Sul – Estudo de caso sobre a atuação governamental brasileira”. O trabalho analisa as informações fornecidas pelo governo do Brasil acerca de iniciativas na América do Sul que visam a criação de padrões de defesa e segurança cibernética.

Baixe o relatório

Dados sobre violência contra LGBTIs no Brasil

 

Análise da ARTIGO 19 sobre dados oficiais mostra desinvestimento nas políticas públicas do setor

Apropriações e réplicas: que voz é essa que fala aí? História de um sequestro semântico

Esperança equilibrista

João Bosco e Aldir Blanc repudiam ação da PF e uso do ‘hino à liberdade’

“Não autorizo, politicamente, o uso dessa canção por quem trai seu desejo fundamental”, diz João, lembrando do hino “pela retomada do processo democrático”. Parceiro, com ironia, sugere outros nomes
por Redação RBA publicado 07/12/2017 17h38, última modificação 07/12/2017 17h47

Blog no WordPress.com.

Acima ↑