Obra reúne 90 colaborações de artistas e será lançado nesta segunda-feira (13) no Teatro Oficina, em São Paulo. “É uma clara tomada de posição de todos os autores pela liberdade de Lula”
por Redação RBA publicado 11/08/2018 08h24
divulgação
lula livro 

‘Mais do que um documento literário, o que se pretende é um documento claramente político’

São Paulo – O livro-manifesto pela liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, intitulado Lula Livre / Lula Livro, será lançado nacionalmente nesta segunda-feira (13). Os organizadores, Ademir Assunção e Marcelino Freire, estarão presente no ato de lançamento, que será realizado às 20h, no Teatro Oficina, no centro de São Paulo. “São 90 autores reunidos nessa antologia em defesa do presidente Lula”, explica Marcelino.

A obra reúne contos, poemas, crônicas e cartuns de nomes como Laerte Coutinho, Xico Sá, Chico Buarque, Raduan Nassar, Frei Betto, Augusto de Campos, entre outros. De acordo com os organizadores, o livro é um “grito” de “inconformismo daqueles que consideram a prisão de Lula uma aberração jurídica-política-midiática, com objetivo maior de tirá-lo das eleições presidenciais deste ano no tapetão, na cara dura.”

No texto de apresentação do livro, que conta com 190 páginas, os organizadores pedem “o fim da prisão política de Lula; pelo direito dos eleitores votarem – ou não – em sua candidatura para a presidência da República; pelo retorno do Brasil à normalidade democrática”. Além do lançamento na segunda, nessa sexta-feira (10), Freire esteve em Salvador para um lançamento prévio e no sábado pela manhã, Assunção comparece na Vigília Lula Livre, que acontece todos os dias desde a prisão de Lula, em abril, na sede da Polícia Federal do Paraná.

Os organizadores acusam os adversários de Lula de orquestrarem uma série de ações para perpetuar o golpe iniciado em 2016. “Como já visto em outros momentos da história recente, sob os mesmos pretextos e com métodos semelhantes, o que se concretiza é um golpe contra os interesses da maioria da população, para manter os privilégios de uma minoria. Basta verificar que, logo após a consolidação da primeira etapa do golpe, uma das medidas aprovadas pelo Congresso foi a reforma trabalhista, que retira direitos históricos dos trabalhadores.”

“É nesse contexto que surge este livro-manifesto”, continua a introdução da obra. “Mais do que um documento literário, o que se pretende é um documento claramente político, com as armas que os autores utilizam em seu fazer criativo (…) Em um prazo curto, de poucas semanas, autores fizeram questão de levantar a voz e enviar suas colaborações inéditas ao livro. O título é uma clara tomada de posição de todos os autores pela liberdade de Lula”, completa, lembrando que a temática das criações, por vezes, ultrapassam a questão direta da prisão do ex-presidente e alcançam temas relacionados “às mazelas de um país massacrado pela histórica e brutal desigualdade”.

Charge da cartunista Laerte Coutinho presente no livro

Charge Laerte Lula Livro.jpg

Poema de Ademir Demarchi presente no livro

Enquanto isso – Ademir Demarchi

o brasil não se cabe de ir ao precipício
vice empossado não é presidente o bastante
é uma oportunidade para discutir a esquerda
diz o “vosso humilde servo”
temer é uma pinguela no precipício
no brasil grande agência de propaganda
se chama áfrica
em homenagem aos consumidores da somália
o datafolha mede que o apoio da população
a ideias de esquerda no resultado líquido
teve leve movimentação
no perfil ideológico do brasileiro para a esquerda
o fidalgal matusalém fhc diz que seu partido
de figadais
faz parte da velharia política escravagista
que dificulta a modernização e só dá cano
e lança candidato-bebê que reforma fusca
como solução para dar jeito no
ferro-velho republicano
enquanto o ex-vice de cara biliar
refutando renúncia
amarga mais uma denúncia

 

Anúncios