Deutsche Welle

Empresas cortam parcerias com lobby de armas dos EUA: boicote

picture alliance/dpa/J. Schmitt-Tegge

NRA continua resistindo a apelos por um maior controle no acesso a armas nos EUA

Cooperações com Associação Nacional do Rifle são canceladas depois do massacre em escola na Flórida e de internautas terem lançado campanha de boicote àqueles que cooperam com lobistas da indústria armamentista

Depois do massacre da escola em Parkland, na Flórida, que deixou 17 mortos, algumas das maiores empresas americanas estão cancelando parcerias com a Associação Nacional do Rifle (NRA, na sigla em inglês), grupo lobista da indústria das armas. Neste sábado (24/02), a seguradora MetLife interrompeu seu programa de descontos aos membros da NRA, assim como a empresa de software Symantec, produtora do antivírus Norton.

As decisões foram anunciadas depois do aparecimento de várias campanhas nas redes sociais chamando a um boicote às empresas que oferecem condições comerciais mais favoráveis aos membros da NRA. Os afiliados da NRA têm acesso a ofertas especiais de empresas associadas, que incluem desde companhias de seguro a clubes de vinho.

Várias empresas listadas na homepage da NRA cortaram relações com os lobistas da indústria de armas, enquanto a NRA continua resistindo a apelos por um maior controle no acesso a armas nos EUA.

Nesta quinta-feira, a empresa de locação de automóveis Enterprise Holdings, dona das marcas Alamo e National, encerrou o programa de descontos no aluguel de carros para membros da NRA.

A gigante da locação de veículos Hertz também anunciou o fim dos descontos a sócios da NRA. “Notificamos a NRA que estamos encerrando o programa de descontos com a Hertz”, informou o grupo na sexta-feira, através do Twitter.

 O First National Bank of Omaha, um dos maiores bancos privados dos EUA, anunciou que não vai renovar o cartão de crédito Visa que exibia sua marca juntamente com a da NRA.

As cadeias de hotéis Best Western e Wyndham Hotels afirmaram nas mídias sociais que não têm mais parceria com a NRA, sem terem especificado quando as decisões foram tomadas.

O vice-presidente executivo da NRA, Wayne LaPierre, disse esta semana, durante a Conferência de Ação Política Conservadora, que os que advogam por controles mais estritos para armas estão explorando o tiroteio na Flórida. “O diabo caminha entre nós”, acusou LaPierre na quinta-feira. “A ideia de alguns dos nossos opositores de que a segurança armada nos torna menos seguros é completamente ridícula”, acrescentou.

O presidente Donald Trump está alinhado com a NRA, chegando a sugerir que alguns professores poderiam andar armados para poder responder rapidamente em caso de ataques a escolas.

MD/dpa/ap/lusa

Anúncios