O embaixador dos Estados Unidos, Michael Fitzpatrick, disse nesta quarta-feira (18) em plenária na Organização dos Estados Americanos (OEA) que não há golpe de Estado “branco” no Brasil.

por

Lembremos, contudo, não só da participação dos EUA no golpe militar de 1964 no Brasil, mas também nos Golpes dados aos Governos da Venezuela, Haiti, Honduras e Paraguai. Na última semana, Noam Chomsky [vídeo logo abaixo], linguista, escritor e um dos maiores intelectuais políticos do mundo, falou, no Democracy Now sobre a interferência dos EUA na política da América Latina e dos golpes consumados, fracassados e em curso:

“A América Latina tem, em grande medida, se livrado do domínio estrangeiro – principalmente a dominação dos EUA – nos últimos 10 a 15 anos. Este é um desenvolvimento considerável em questões mundiais. É a primeira vez em 500 anos.

Estavam acostumados a derrubar governos e realizar golpes à vontade e assim por diante. Eles tentam. Houveram três – talvez dependa de como você os conta – golpes, tentativas de golpe neste século. Um na Venezuela em 2002 teve sucesso por alguns dias, com o apoio dos EUA, foi derrubado por reação popular. Um segundo no Haiti em 2004, teve sucesso. Os EUA e a França-Canadá ajudaram – sequestraram o presidente, o enviaram para a África Central, não permitindo que seu partido concorresse nas eleições. Aquele foi um golpe bem sucedido. Em Honduras, sob o Governo Obama, houve um golpe militar, derrubaram um presidente reformista. Os Estados Unidos foram quase os únicos a praticamente legitimar o golpe, você sabe, alegando que as eleições sob o regime golpista eram legítimas. Honduras, com uma sociedade sempre muito pobre, reprimida, tornou-se totalmente uma câmara dos horrores. Fluxo enorme de refugiados, nós os jogamos de volta na fronteira, de volta para a violência que nós ajudamos a criar. Paraguai, houve uma espécie de semi-golpe. O que está acontecendo – também tentam se livrar de um pregador progressista que estava governando o país brevemente.

O que está acontecendo no Brasil agora é muito lamentável de várias maneiras. (…) É uma espécie de golpe brando. (…) Nós temos uma líder política que não roubou para enriquecer a si mesma, que está sendo acusada por uma gangue de ladrões, que o fizeram. Isso conta como um tipo de golpe brando.”

Confira a entrevista na íntegra:

#StopCoupInBrazil

 

Anúncios